Soma: veja como será o processo de negociação

O diretor da Sociedade Operadora do Mercado de Ativos (Soma), Romeu Pasquantonio, explica que a proposta da Soma para a negociação das cotas de fundos imobiliários apresenta duas maneiras. São elas: o mercado contínuo, com operações das 10h às 17h, e o mercado de call, com um horário diário determinado para o registro de ofertas por parte de investidores interessados em comprar e vender as cotas através de intermediários - corretoras, distribuidoras de valores e bancos de investimento."Os fundos com market maker, ou seja, com formadores de mercado atuando diariamente ao longo de todo o dia, terão suas cotas negociadas em mercado contínuo. Na tela de oferta do sistema de negociações da Soma, será dada a cotação de compra e venda das cotas. Já os demais fundos, que não possuem o market maker, serão negociados no mercado de call para a formação adequada dos preços", explica o diretor da Soma.Segundo ele, em ambos os mercados, o investidor será favorecido por uma maior transparência na formação de preços. No mercado contínuo, por exemplo, o investidor saberá exatamente quanto vale o seu ativo, de acordo com o valor de mercado. E, no mercado de call, terá a oportunidade de realizar negociações também dentro dos parâmetros de valores de mercado. No mercado de call, segundo Pasquantonio, se o investidor fizer ofertas de compra ou venda acima ou abaixo do que a maioria dos investidores estima que vale essa cota, a negociação não se efetivará. Esse valor de mercado será apresentado pelo sistema de negociação eletrônico da Soma, com base nos registros de oferta.Para os administradores de fundos, a negociação das cotas na Soma acarretará em um custo de anuidade, que é pago à Soma pelo serviço de prestação de informações sobre os fundos. Já o investidor fica com o custo do emolumento, que hoje é de 0,2% do valor financeiro da operação para as negociações sem registro na Soma. Com registro, esse custo cairá para 0,075% do valor financeiro.Participação dos administradores"A proposta da Soma é trazer para o mercado de balcão organizado o registro e lançamento das cotas de fundos de investimento. O investidor ganha com isso, já que esse mercado ganha mais liquidez e transparência nas negociações", avalia Pasquantonio. Segundo ele, a consolidação dessa proposta depende, principalmente, da adesão dos administradores de fundos imobiliários. "Esse mercado já está crescendo e pode evoluir ainda mais com a entrada na Soma. Mas, para isso, será preciso propagar a cultura de investimento em fundos imobiliários, por meio de um maior esclarecimento e divulgação aos investidores. Essa é a porta de entrada para os novos cotistas desses fundos", afirma o diretor da Soma. Pasquantonio informa que a Soma também vai se empenhar na divulgação de informações sobre os fundos imobiliários. "O site da Soma trará informações atualizadas sobre todas as negociações, lançamento de novas cotas e preço desses ativos", declara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.