Kazuhiro NOGI / AFP
Kazuhiro NOGI / AFP

Sony vai transferir sede europeia no Reino Unido para a Holanda após Brexit

Gigante japonesa teme possíveis entraves em procedimentos aduaneiros caso Londres deixe o bloco europeu sem acordo

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2019 | 03h59

TÓQUIO - A Sony vai transferir sua sede europeia localizada no Reino Unido para a Holanda por causa do Brexit. O motivo seria possíveis entraves em procedimentos aduaneiros após Londres deixar o bloco europeu. A informação foi inicialmente divulgada pelo jornal financeiro Nikkei e confirmada pela agência de notícias AFP.

A gigante japonesa planeja fundir a Sony Europe, responsável pelos negócios de produtos e equipamentos eletrônicos no continente, com uma nova filial em Amsterdam, que iniciará operações em abril deste ano, logo após a data-limite para a saída do Reino Unido da União Europeia, em 29 de março.

A Sony irá manter sua sede no Reino Unido, mas voltada somente ao mercado britânico. Os funcionários não serão realocados, informou a empresa.

Com as negociações do Brexit em impasse devido à falta de apoio do parlamento britânico ao plano da premiê Theresa May, o Reino Unido poderá deixar o bloco europeu sem acordo sobre a união aduaneira, dificultando a importação e exportação de produtos entre o país e a União Europeia.

No balanço fiscal de 2017, fechado em março de 2018, a Sony informou que as vendas europeias (cerca de US$ 16,5 bilhões) representam 21,55% do total, a frente dos 21,48% do mercado americano.

Outras empresas adotam posturas semelhantes. Em outubro do ano passado, a concorrente Panasonic transferiu sua sede europeia no Reino Unido para a capital holandesa. A BMW anunciou que fechará sua usina em Oxford por um mês após o Brexit e a Honda Motor planeja uma suspensão de operações por seis dias em uma fábrica em Swindon, no sul da Inglaterra. //EFE, AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.