coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Souza Cruz se diz preparada para mudanças

O presidente da Souza Cruz, Flavio de Andrade, destacou o processo de modernização da empresa ao receber o prêmio de primeiro lugar no Ranking AE/Economática de 2001. Ele lembrou que a companhia buscou na década de 90 tirar o atraso no setor de fumo devido à carência de investimentos e "controle exagerado de preços". "Hoje, todos os setores da empresa estão preparados para o futuro", afirmou. Segundo ele, o prêmio de destaque como companhia aberta no ano passado traduz a eficiência e o esforço da empresa em adicionar valor ao acionista. O executivo disse ainda que a Souza Cruz pretende manter sua política de transparência para fazer parte, também em 2003, do evento que premiará a performance deste ano. "Vamos brigar com a Vale pelo primeiro lugar", brincou Andrade, dirigindo-se ao presidente da Vale, Roger Agnelli, que disse que conquistaria a primeira colocação após ter ficado em segundo nesta edição do prêmio.Para a Vale, planejamento e estratégia são fundamentaisO presidente da Cia Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, ao receber o prêmio da segunda colocação no Ranking Agência Estado/Economática, lembrou que a empresa foi a terceira colocada em 2000 e o segunda no ano passado. ?Vamos ver se chegamos à primeira colocação no ano que vem", disse. O executivo destacou o planejamento e a estratégia como itens fundamentais para o desempenho de uma empresa no mercado de capitais. "Um dos objetivos antigos da Vale era visualizá-la no mercado mundial de minério como uma das grandes empresas em termos de valor de mercado". Para tanto, Agnelli destacou a adoção de estrutura definida e de medidas de governança corporativa. "A Vale sempre foi uma companhia aberta, intensificou esse processo e o coroou com a colocação no mercado das ações do Tesouro Nacional e do BNDES. Só no exterior houve uma demanda de US$ 4,5 bilhões." O executivo destacou ainda a importância do mercado aberto e da governança corporativa para a redução do custo de capital das empresas brasileiras.Prêmio mostra precificação de governança, diz AmbevO co-presidente da AmBev, Victório de Marchi, afirmou que o prêmio Destaques Cias Abertas é um firme reconhecimento do mercado sobre a precificação da governança da empresa. Ele recebeu o prêmio de terceiro lugar e lembrou que 70% do capital da empresa está no mercado, dividido entre 60 mil acionistas. "Isto tem dado suporte para expandirmos nossas atividades no Brasil e no exterior", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.