Sozinha, Vale dá lance mínimo e leva Ferrovia Norte-Sul

Mineradora compra por R$ 1,478 bilhão a subconcessão de um trecho de 720 quilômetros da ferrovia

Beth Moreira e Téo Takar, da Agência Estado,

03 de outubro de 2007 | 10h48

A Companhia Vale do Rio Doce arrematou nesta quarta-feira, 3, em leilão, a subconcessão de um trecho de 720 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul, pelo preço mínimo de R$ 1,478 bilhão. A mineradora foi a única empresa credenciada a participar da disputa, encerrada nesta manhã na Bovespa.  A companhia será responsável pela operação, conservação e manutenção do trecho entre Açailândia, no Estado do Maranhão, e Palmas, em Tocantins, pelo período de 30 anos. Quando estiver completa, a Ferrovia Norte-Sul terá 1.980 quilômetros, ligando Belém (PA) a Anápolis (GO).  Os recursos provenientes do leilão serão utilizados pela Valec - estatal subordinada ao Ministério dos Transportes e que detém a concessão para construção e operação da ferrovia - para concluir a obra, como o trecho de 359 quilômetros entre Araguaína e Palmas, no Tocantins, que deverá ser implementado até o final de 2009. A aquisição deverá trazer muitas sinergias à Vale, já que ela opera, desde 1996, um trecho de 225 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul entre Açailândia e Estreito, no Maranhão. Em Açailândia, a Norte-Sul se conecta à Estrada de Ferro Carajás (EFC), que pertence à mineradora, permitindo o acesso ao porto de Itaqui, em São Luís, onde a Vale controla o terminal marítimo de Ponta da Madeira.

Tudo o que sabemos sobre:
Ferrovia Norte-SulVale do Rio Doce

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.