bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

SP e Rio dispararam no ranking das cidades mais caras

São Paulo e Rio de Janeiro dispararam no ranking das cidades mais caras do mundo, passando da 119ª e da 124ª posição para a 34ª e 40ª, respectivamente. O levantamento, que põe Moscou no topo da lista, foi divulgado nesta segunda-feira pela Mercer Human Resource Consulting e toma por base o custo de vida de executivos de multinacionais em 140 cidades ao redor do mundo.Segundo a pesquisadora-sênior da Mercer, Anna Kratova, SP e Rio foram as cidades que mais subiram no ranking de 2006. "A alta valorização do real que, segundo nossas contas, superou 20% em um ano, explica essa mudança", disse Anna.Com os resultados, as duas cidades brasileiras passam a ser as mais caras da América Latina.São Paulo, por exemplo, ultrapassou Estocolmo (36ª posição), Chicago (38ª) e Miami (30ª posição). Já o Rio está na frente de Amsterdã (41ª) e cidades do mundo emergente com as quais, em tese, disputa investimentos como Shenzen, na China, (44ª) e Jacarta, na Indonésia (48ª)."Acompanhamos a variação de preços de bens e serviços destinados às classes mais abastadas, seguindo o padrão de consumo desses executivos", explicou a pesquisadora.Segundo ela, os gastos com moradia, principalmente com aluguéis de luxo, foram os que mais subiram nas duas cidades: cerca de 11% em um ano na média.No ranking geral, Moscou ultrapassou Tóquio e é a cidade mais cara do mundo, seguida por Seul, Tóquio, Hong Kong, Londres, Osaka, Genebra, Copenhague, Zurique, Oslo e Nova York.Londres é a cidade mais cara da Europa. Em seguida, estão: Genebra, Copenhague, Zurique, Oslo, São Petesburgo, Milão e Paris.A cidade mais barata do mundo continua sendo Assunção, no Paraguai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.