"be water"

Coluna Leandro Miranda: como se moldar à nova economia após a covid-19?

SP fecha 38 mil vagas e desemprego chega ao comércio

O Estado de São Paulo perdeu 38.676 empregos formais em janeiro de 2009, o equivalente a 38% dos postos de trabalho eliminados em todo o Brasil. Embora a indústria responda por 51,3% dos empregos perdidos - 19.859 vagas -, já começa a haver aumento do desemprego no comércio, que respondeu por 32,3% das vagas eliminadas em janeiro: menos 12.518. São Paulo concentra 29% dos empregos de todo o País.Os dados são do Observatório do Emprego da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo (Sert), com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Em janeiro, o desemprego foi menor, em relação a dezembro de 2008, quando foram eliminadas 101 mil vagas de trabalho em São Paulo. Mas ainda preocupa. "Normalmente em janeiro se inicia a recuperação dos empregos perdidos em dezembro. Este ano não foi assim e a tendência é que o emprego em fevereiro também reflita a desaceleração da economia. A sangria vai continuar", avalia o economista Eduardo Zylberstajn, pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A região metropolitana de São Paulo foi a mais afetada pelo desemprego. Foram perdidas 15.627 vagas. Em janeiro de 2008, a região foi responsável pela criação de 33.123 postos de trabalho. Em segundo lugar vem a região de Campinas, com a perda de 10.989 empregos. Das 15 regiões administrativas do Estado, 13 perderam empregos formais em janeiro e somente duas tiveram saldo positivo: Ribeirão Preto (4.825 postos) e Franca (1.033 empregos gerados). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.