finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

SP lançará edital de trecho Oeste do Rodoanel este mês

O secretário de Transportes de São Paulo, Mauro Arce, afirmou hoje que o governo do Estado deverá divulgar, até o final deste mês, o edital de concessão à iniciativa privada do trecho Oeste do Rodoanel. Segundo ele, o novo modelo será utilizado também pelo Estado nas concessões de outras rodovias - os cinco lotes já previstos - e de outras estradas que o governo está avaliando. Este modelo deverá privilegiar a outorga e os investimentos, já que o governo necessita dos recursos para realizar outros projetos, como a finalização do trecho Sul do Rodoanel. Além disso, o governo espera também que o preço do pedágio seja mais baixo do que os fixados em concessões anteriores. "Tem de ter outorga e investimento e o pedágio não pode ser alto, temos de encontrar uma fórmula criativa", destacou o secretário, após participar de seminário da Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib) sobre infra-estrutura na capital.Arce disse que já está acordado que as empresas que ganharem essas concessões terão de realizar investimentos em outras rodovias. "Nosso programa é de outorga e de investimentos. Estamos concentrando esforços em investimentos (nessas novas concessões)", disse ele, exemplificando que o vencedor da concessão da Rodovia Dom Pedro I ganhará também a concessão da Jundiaí-Itatiba, com a obrigação de fazer os investimentos necessários nessa estrada (como a sua duplicação). E complementou: "Isso não mudou, pois quem ganhou a Anchieta-Imigrantes tinha de construir a pista da Imigrantes, isso faz parte (do modelo de concessão adotado no Estado). Mas posso privilegiar investimentos ou outorga, porque o dinheiro sai do mesmo lugar e tudo está dentro do objeto da concessão".Questionado se o preço do pedágio seria o grande objeto da disputa nessas concessões, já que o governo deverá privilegiar a outorga, o secretário riu e destacou: "(A disputa) será no campo da luta". E informou que o governo ainda não bateu o martelo sobre o modelo que será adotado, mas adiantou que a equipe do governador José Serra está buscando uma fórmula criativa para "usar positivamente o interesse da iniciativa privada no conjunto dessas concessões, seja fazendo mais obras, seja tendo um pedágio mais acessível". Apesar da afirmativa, Arce disse que o custo do pedágio sobre o transporte é muito pequeno. "Em São Paulo, somente 10% do total de estradas asfaltadas tem pedágio, das estaduais, se contar os 170 mil quilômetros das vicinais, esse número cai ainda mais. Essa é uma discussão que sempre cai para o lado emocional", emendou.

ELIZABETH LOPES, Agencia Estado

12 de novembro de 2007 | 19h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.