coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

SP tem plano de contingência para falta de gás

O Estado de São Paulo possui planos de contingenciamento na hipótese de a Petrobras cortar um volume de gás natural superior a 800 mil metros cúbicos por dia, informou hoje o Comissário-Chefe da Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), Zevi Kann. "Esperamos que não seja necessário aplicar, mas possuímos planos de contingência que são submetidos pelas concessionárias à CSPE", disse o executivo.Segundo ele, o corte não será socializado para todos os consumidores do Estado. "A redução da disponibilidade de gás pode ocorrer em qualquer ponto da rede. O plano de contingência dependerá do local", explicou. De acordo com Kann, um corte de até 800 mil cúbicos/dia no Estado seria totalmente absorvido pelo mercado. Esse volume se refere ao consumo de clientes bi-combustíveis presentes na área de concessão da Comgás. "Os contratos de suprimento para estes clientes já admitem a interruptibilidade do fornecimento de gás", justificou.O comissário-chefe da CSPE afirmou que os consumidores bi-combustíveis são grandes indústrias e que essas companhias aderiram voluntariamente aos contratos que prevêem a interrupção do fornecimento. "A formulação desses contratos foi uma orientação nossa há cerca de um ano, quando surgiram os problemas com a Bolívia e o acirramento da disputa do gás pelo setor de gás natural e pelo setor elétrico", comentou Kann. Segundo ele, ficou acertado que a Petrobras arcará com as diferenças entre o custo do gás natural e o do óleo combustível, que será usado como combustível substituto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.