SP terá feira de micros usados no fim de semana

Quem tiver microcomputador, impressora ou qualquer outro periférico usado e quiser vender ou trocar terá uma oportunidade para fazer negócio neste final de semana. No próximo sábado e domingo (dias 8 e 9) o Museu do Computador (www.museudocomputador.org) comemora sua inauguração promovendo a 1ª Feira de Micro e Notebooks Usados, que acontecerá das 9 horas às 21 horas, em Interlagos (Avenida do Rio Bonito, 1201). Será cobrada uma taxa de R$ 20 para os particulares interessados em comercializar os equipamentos e toda a renda arrecadada reverterá para o museu. A expectativa do curador José Carlos Valle é de que 5 mil pessoas visitem a feira. Uma área de 500 metros quadrados será disponibilizada para a instalação de 20 boxes reservados a lojistas de equipamentos usados, que oferecerão garantia de 90 dias às máquinas. De 1.000 a 2.000 micros e notebooks devem ser expostos e a previsão da curadoria é de que a feira movimente até R$ 300 mil. Nesta primeira edição, haverá lançamento de livros sobre a história da informática e um sorteio de brindes para visitantes. Valle destaca que o evento pode se tornar mensal, dependendo do interesse demonstrado pelo público. "Se o projeto vingar, já quero fazer outro no final de janeiro ou fevereiro, no máximo", planeja o curador, lembrando que a feira foi o caminho encontrado para tentar angariar recursos para o museu, após tentativas infrutíferas de apoio de patrocinadores. De terça a domingo, das 10 horas às 17 horas, o museu estará aberto ao público. O ingresso custa R$ 5 e R$ 2,50 para estudantes. Segundo o curador, a idéia é oferecer ao visitante um apanhado geral do desenvolvimento da informática e comunicações. O acervo conta com 2.500 equipamentos de diversas épocas. Podem ser conferidas, por exemplo, máquinas de escrever das décadas de 40, 50 e 60 e celulares antigos. Além disso, há uma vitrine com a exposição de um teletipo, máquina de 50 kg dos anos 50, que recebia notícias via cabo submarino. Outro destaque é a sala decorada ao estilo da década de 70, que mostra um computador Main Frame de dez toneladas com 33 MB de memória. Há ainda um espaço destinado a minicomputadores e outro para impressoras. O museu está aberto a doações de máquinas, livros e softwares durante a feira.

Agencia Estado,

07 Dezembro 2001 | 10h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.