finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

SP vai cobrar aumento na oferta de gás

Governo e Fiesp consideraram expansão condição essencial para se evitar um megaapagão no próximo ano

Agnaldo Brito, do Estadão,

06 de novembro de 2007 | 17h10

A Secretaria Estadual de Energia de São Paulo e Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) vão cobrar da Petrobras e do governo federal garantias firmes de que a oferta de gás natural será elevada entre 30 milhões e 36 milhões de metros cúbicos em 2008. Em reunião, o governo de São Paulo e a Fiesp consideraram esta expansão condição essencial para se evitar um megaapagão no próximo ano.   A secretária de saneamento e energia, Dilma Pena, destacou que, apesar de o governo federal dizer que não faltará gás, o fato é que não está demonstrado claramente isso. Segundo ela, o governo de São Paulo já pediu encontros com a Petrobras e os ministérios da Casa Civil e Minas de Energia para obter informações sobre o andamento dos projetos que poderão ampliar a oferta de gás a partir do próximo ano.   Fiesp e governo de São Paulo também indicaram quais são os projetos que não poderão deixar de produzir gás no ano que vem. À oferta atual, terão de ser incluídos mais 5,5 milhões de metros cúbicos da Bacia de Santos, mais 24 milhões na Bacia do Espírito Santo e mais 7 milhões em importação de gás natural liquefeito (GNL), combustível que será regaseificado numa estação que ficará no Rio de Janeiro.   Veja mais informações na edição desta quarta-feira, do Estadão.

Tudo o que sabemos sobre:
Racionamento de gásGás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.