SPC suspende a intervenção em fundo da CSN

A secretaria de Previdência Complementar (SPC) voltou atrás e suspendeu a intervenção branca determinada na terça-feira no fundo de previdência dos funcionários da Companhia Siderúrgica Nacional, o CBS. A decisão será publicada no Diário Oficial da União que circula amanhã e que, portanto, torna sem efeito os termos da Portaria 902/02, que indicava a necessidade de um administrador especial para a diretoria do CBS.A nota oficial distribuída pela SPC informa que a decisão foi adotada após reunião, realizada na noite de ontem, com os dirigentes da CSN, inclusive a presidente da empresa, Maria Silvia Bastos. Segundo a nota, a CSN propôs um programa de reavaliação atuarial nos seus planos de benefício definido. "A CSN e a CBS se comprometeram a reavaliar o plano de amortização de reservas existente e a adotar medidas para sustentar o equilíbrio desses planos, inclusive no tocante aos prazos de amortização", afirma a nota.Como resultado da negociação estabelecida com a direção da CSN, foi concedido o prazo de 120 dias para a reavaliação dos planos e a apresentação de propostas para o ajuste dos cálculos atuariais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.