Brendan Mcdermid|Reuters
Brendan Mcdermid|Reuters

Standard & Poor’s corta ratings de bancos do País

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s anunciou ontem a revisão dos ratings das instituições financeiras brasileiras. As notas dos principais bancos do País – Itaú Unibanco, Bradesco, Santander, Banco do Brasil, BNDES e Caixa, além de outras 15 instituições – foram mantidas. Mas 13 bancos tiveram a nota rebaixada em escala nacional e, desses, sete também tiveram o rating reduzido em escala global. Cinco tiveram a perspectiva alterada para baixo e dois mantiveram a perspectiva negativa.

O Estado de S.Paulo

15 de março de 2016 | 10h01

A explicação da agência para a mexida é a mudança do cenário econômico e político do País. “Nós agora esperamos um processo mais prolongado de ajuste – uma correção mais lenta na política fiscal e outro ano de acentuada contração econômica”, disse a S&P em relatório, prevendo impactos sobre o sistema financeiro brasileiro.

A Standard & Poor’s foi a primeira agência de classificação de risco a tirar do Brasil, em dezembro do ano passado, o selo de grau de investimento – que significa que um país pode ser considerado bom pagador e, por isso, pode ter acesso a crédito mais barato. Depois disso, em fevereiro, a agência ainda cortou a nota do País em mais um degrau. Além disso, ainda deixou o rating em perspectiva negativa, o que significa que um novo rebaixamento, em breve, não está descartado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.