Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Starbucks tem forte queda no lucro e vai demitir mais de 6 mil

Pelo menos 300 lojas serão fechadas; no 1º trimestre fiscal, ganho foi 69% menor do que o do ano anterior

Efe,

29 de janeiro de 2009 | 02h42

A cadeia americana de cafeterias Starbucks anunciou nesta quarta-feira, 28, que em seu primeiro trimestre fiscal ganhou 69% menos que um ano antes, uma queda que tentará combater com medidas que incluem o fechamento de 300 lojas e a demissão de 6.700 funcionários. Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  A Starbucks lucrou US$ 64,3 milhões, US$ 0,9 por ação, entre outubro e dezembro de 2008 (primeiro trimestre fiscal), frente aos US$ 208,1 milhões (US$ 0,28 por título) lucrados no mesmo período de 2007. Entre os dois períodos comparados a receita caiu 5,5%, ao passar de US$ 2,767 a US$ 2,615 bilhões. "Em meio ao enfraquecimento que atinge o consumo no mundo todo, a Starbucks segue um plano bem desenvolvido para fortalecer nosso negócio, buscando maior eficiência operacional e preservando a força da marca", assegurou o presidente e conselheiro da cadeia, Howard Schultz, ao anunciar os resultados. Segundo ele, a companhia se manterá fiel a esse plano, "com a disciplina e rigor necessários para encorajar os acionistas a longo prazo". Como parte desse plano, a firma fechará 200 estabelecimentos nos EUA e cerca de 100 fora do país, embora não tenha dado mais detalhes. "A companhia antecipa que esses fechamentos de lojas, junto ao rebaixamento de aberturas para o ano fiscal 2009 e outras iniciativas para ganhar eficiência, podem levar a uma redução de até seis mil empregos em estabelecimentos durante este ano", detalhou a Starbucks. Com essas e outras medidas, a empresa pretende poupar cerca de US$ 500 milhões ao ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.