Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Status de credor pode render grau de investimento ao Brasil, diz 'LA Times'

Anúncio do Banco Central de que Brasil virou credor internacional é destaque no jornal.

Da BBC Brasil, BBC

22 de fevereiro de 2008 | 07h25

O anúncio do Banco Central de que o Brasil passou a ser credor no cenário internacional, graças ao crescimento de suas reservas internacionais, foi destaque na edição desta sexta-feira no jornal americano Los Angeles Times."A mudança do Brasil para o status de credor pode aumentar a confiança dos investidores na maior economia da América Latina e ajudar o Brasil a obter a classificação de grau de investimento", afirma o LA Times.A mudança de status se deu porque, pela primeira vez, as reservas internacionais - ativos que o governo e o setor privado possuem no exterior - ultrapassaram a dívida externa.O jornal comenta que o país pagou seu débito com o FMI e as exportações triplicaram desde que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou ao poder em 2003, graças ao aumento na demanda global por soja, minério de ferro, carne e outros produtos brasileiros."Um aumento do investimento estrangeiro direto, inclusive a compra de ações e títulos por não residentes, provocou alta do valor do real, aumentando o poder de compra do Brasil no exterior.""O real chegou a 1,711 por dólar na quinta-feira, sua maior valorização desde 1999", destaca o jornal americano.O jornal comenta ainda que as reservas internacionais alcançaram a alta recorde de US$ 171,6 bilhões em janeiro, mais do que dez vezes mais do que os US$ 17 bi de quando Lula assumiu o governo."Nas últimas semanas, o mercado de ações do país recuperou quase as perdas contraídas com a queda generalizada dos mercados mundiais em janeiro, e está chegando perto da alta recorde de dezembro."Mas, apesar da boa notícia, o país ainda enfrenta desafios, conclui o jornal: "O desaquecimento econômico global poderá testar se os esforços do Brasil para diversificar seus mercados de exportação e acumular reservas foram suficientes para salvaguardar o crescimento a longo prazo, dizem analistas." BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.