Staub cobra mudança prometida por Lula

O empresário Eugênio Emílio Staub, da Gradiente, afirmou na Fiesp, durante o Congresso da Indústria paulista, que com as taxas de juros no patamar atual e sem um equilíbrio cambial que favoreça tanto as exportações quanto as importações, não há condições para uma retomada de investimentos que garanta o crescimento econômico do Pais. Para Staub, um dos primeiros empresários a apoiar a candidatura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a conjuntura é tão desfavorável que qualquer reação da economia servirá apenas para evitar uma recessão. "Juros e câmbio são muito mais importantes do que os outros instrumentos (de política industrial, tema do evento de hoje). Não dá para investir com as condições macroeconômicas de hoje. E não estamos falando em desenvolvimento, estamos falando em evitar a recessão. O governo pode não ter percebido, mas estamos em recessão", afirmou.Staub disse ainda que é preciso, agora, cobrar a promessa de campanha do governo Lula de mudança da política econômica. "Tudo o que foi feito no primeiro semestre tinha de ter sido feito assim mesmo. Mas agora está na hora da mudança prometida", afirmou, ao participar do painel "Política Industrial: a construção de um projeto estratégico para o Brasil", durante o I Congresso da Indústria Paulista, na Fiesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.