Stephanes discute etanol com empresários dos EUA

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, discutiu hoje, em Brasília, com representantes do Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos questões relacionadas ao comércio entre os dois países. Nove empresas que fazem parte do grupo estão entre as 20 maiores exportadoras americanas. Em nota, a assessoria de imprensa do ministério informou que o principal enfoque da reunião foi bioenergia, especialmente o etanol. Os americanos mostraram interesse em produzir o biocombustível. "É importante tratarmos a questão dos biocombustíveis juntos. Acho que vocês têm um papel fundamental nessa experiência. Nós não estamos tão avançados nesta área como deveríamos estar", disse o vice-presidente do conselho, Mark Smith. Para o ministro Stephanes, é interessante que mais países produzam biocombustíveis, principalmente os parceiros comerciais do Brasil.Ele destacou, ainda, a importância da integração com os Estado Unidos. O secretário de Produção e Agroenergia do ministério, Manoel Bertone, reiterou a sintonia dos dois países nos assuntos de bioenergia, com foco no desenvolvimento desse mercado e na geração de oportunidades. O ministro explicou que na questão de biocombustíveis o etanol é o mais representativo no Brasil e que 80% do produto se destina ao mercado interno, devido à crescente demanda de carros tipo flex."A questão está bem coordenada do ponto de vista ambiental, de zoneamento e de produção. Embora a questão esteja bem ordenada, tenho me preocupado com a velocidade do aumento da produção, que não está correspondendo à velocidade da demanda do mercado." Stephanes informou que a previsão é de dobrar a produção de etanol nos próximos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.