Stephanes diz que preços agrícolas levaram a PIB menor

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou hoje, em entrevista coletiva, que o ponto determinante para o recuo do Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária no terceiro trimestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2008, de 9%, foi a queda do preço dos produtos agrícolas. Mais cedo, antes de ter em mãos os números detalhados do PIB, divulgados na manhã de hoje pelo IBGE, Stephanes supôs que a baixa da atividade agrícola havia sido causada majoritariamente pelo retardamento da colheita de cana-de-açúcar.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

10 de dezembro de 2009 | 17h58

"A questão fundamental da queda é o preço", resumiu nesta tarde. Isso porque, segundo o ministro, as comparações foram feitas em momentos muito distintos da economia. No terceiro trimestre de 2008, o mundo passava pelo pior momento da crise financeira internacional e o impacto sobre a atividade econômica foi verificada nos meses seguintes. "O preço estava muito forte no pré-crise e, quando a crise veio, ficou muito mais baixo. Houve uma comparação com um momento ascendente", explicou o ministro. Os produtos citados como exemplo desse processo pelo ministro foram feijão (-56%), carne suína (-30%), arroz (-16%) e carne bovina (-12%).

Stephanes atribuiu a queda do PIB agropecuário verificada do segundo para o terceiro trimestre (-2,5%) à redução da produção de alguns produtos. Neste caso, seriam bons exemplos, segundo ele, o café (por conta da bianualidade da safra do produto); o milho (que sofreu com a seca) e trigo e arroz (prejudicados pelo excesso de chuva). De qualquer forma, o ministro afirmou que não se surpreendeu com os números relativos ao setor porque a queda dos preços já era algo conhecido.

A perspectiva do ministro é a de estabilidade no quarto trimestre do ano. "Não vamos ver muita alteração da composição, mas não dá para reverter (para uma taxa positiva)", disse ele.

Para 2010, Stephanes apresentou uma perspectiva mais otimista. Ele prevê crescimento da produtividade, que, segundo análise feita pelo IBGE hoje, foi a principal causa da queda do setor no terceiro trimestre do ano. "Esperamos mais produção se o clima se mostrar adequado", disse. Ele também acredita que o câmbio deverá mostrar pouca oscilação no próximo ano. "O PIB será positivo em 2010."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.