Stephanes: etanol é compatível à produção de alimentos

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, voltou a defender hoje o programa brasileiro de desenvolvimento de biocombustíveis e disse que a produção de etanol no País é compatível com a produção de alimentos. Segundo ele, as lavouras de cana-de-açúcar estão se expandindo em áreas subaproveitadas do Brasil. Ele informou, ainda, que 43% da matriz energética brasileira é de energia limpa, em comparação com 13% em outros países.Durante palestra na abertura oficial da 30ª Conferência Regional para a América Latina e Caribe da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), no Palácio do Itamaraty, Stephanes afirmou que o Brasil é o País que mais cresce em excedente de produção de alimentos e que a cana-de-açúcar representa menos de 1% da produção nacional. Ele salientou que o zoneamento agrícola para cana será anunciado em julho, determinando áreas em que se pode realizar o cultivo do produto. EtanolEle aproveitou a conferência da FAO para dar um recado aos críticos do etanol, que acusam a produção de biocombustível de ser responsável pelo aumento dos preços dos alimentos no mercado internacional. "O Brasil não aceita essas críticas. Quem faz esse tipo de crítica desconhece o Brasil e sua realidade", afirmou.O ministro observou, ainda, que há uma preocupação com relação à oferta de alimentos no mundo e disse que, no futuro, pode haver um desequilíbrio entre capacidade de produção e consumo. "Nesse cenário, é fácil apontar o etanol como culpado", disse ele, que acrescentou que a perspectiva de preços no mercado externo é favorável ao agricultor brasileiro.DívidaEm relação à negociação da dívida do setor agrícola, o ministro disse que o texto da medida provisória (MP) está sendo redigido pelos técnicos do Ministério da Fazenda. A fase de negociações já terminou. A expectativa de assessoria do ministro é que o texto seja publicado na semana que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.