Stephanes: exportação do agronegócio deve subir até 15%

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, estimou hoje que as exportações de produtos do agronegócio crescerão de 10% a 15% em 2008. Segundo ele, nos últimos anos os embarques cresceram a uma taxa média de 15% ao ano e o resultado deve se repetir em 2008, com a demanda mundial "muito forte" por produtos agrícolas, assinalou ele.No ano passado, o saldo da balança comercial do agronegócio atingiu o superávit histórico de US$ 49,7 bilhões. Stephanes disse, ainda, que uma missão comercial do Brasil está na China para negociar a venda de carnes para aquele país asiático.As declarações de Stephanes foram dadas durante entrevista para detalhar o interesse da Indonésia em importar carne bovina e soja do Brasil. O ministro da Agricultura indonésio, Anton Apriyantono, também participou do encontro com os jornalistas. No entanto, nenhum acordo comercial foi formalizado na reunião de hoje.De acordo com o ministro da Indonésia, o país precisa importar cerca de 1,2 milhão de toneladas de soja. Atualmente, o produto é fornecido pelos Estados Unidos. "Queremos estimular a concorrência", disse o ministro. Segundo Stephanes, 60% do consumo interno de soja na Indonésia é importado.Em relação à carne bovina, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que é o interlocutor do Congresso Nacional nas discussões comerciais com os países asiáticos, disse que a Indonésia importa cerca de 60 mil toneladas de carne bovina por ano. O produto é fornecido pela Nova Zelândia e Austrália. O ministro da Indonésia não esclareceu qual seria o potencial desse mercado para o Brasil, mas ressaltou que a importação depende de questões sanitárias. "A abertura de mercado depende de inspeção sanitária de órgão competente", afirmou. Ele salientou que é fundamental para o país que o rebanho brasileiro esteja livre de febre aftosa e da doença da vaca louca.O ministro brasileiro lembrou que não há casos de vaca louca no rebanho nacional e que 16 Estados brasileiros são reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como áreas livres de febre aftosa.A Indonésia, além de carne, importa animais vivos, que alcançaram volume de cerca de 400 mil toneladas nos últimos anos. Stephanes ressaltou que o Brasil tem capacidade de atender a demanda do mercado indonésio, que exige o abate Halal dos animais. Ontem a delegação da Indonésia esteve no interior de São Paulo onde visitou um frigorífico que atende aos preceitos da religião muçulmana. União EuropéiaEm relação às duas missões da União Européia que estão no Brasil, Stephanes comentou que uma das missões, que avalia o controle de resíduos em produtos de origem animal, termina os trabalhos no País amanhã. Quanto a outra missão, que verifica o sistema de rastreabilidade do gado bovino, o ministro disse que já foi definido um cronograma para ampliação do número de fazendas aptas a exportar carne bovina in natura para aquele bloco. "Acredito que o fluxo de exportação estará restabelecido até o fim do ano", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.