Stephanes: importante é manter o mercado da UE aberto

No mesmo dia em que auditores da União Européia (UE) visitam fazendas no Rio Grande do Sul habilitadas a fornecer carne bovina ao bloco, o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, avaliou hoje que "o importante é que o mercado (europeu) está aberto". A UE chegou a suspender as importações do Brasil após a disputa sobre o número de propriedades aptas a exportar ao bloco e reabriu o mercado para 106 fazendas. Ao manter as exportações, o Brasil evita possíveis reflexos do problema para terceiros mercados, que poderiam deduzir a existência de problemas sanitários, ressaltou o ministro.Stephanes relatou que a União Européia sofre grande pressão dos produtores europeus, que abastecem 95% do mercado doméstico do bloco. A região, lembrou ele, exigiu dos fornecedores regras rígidas de sanidade, feitas pensando na prevenção à doença da vaca louca. "O Brasil aceitou estas regras, baixou suas normas e, no final, acabou não cumprindo suas próprias normas", resumiu.À medida em que mais propriedades atenderem às exigências, serão incorporadas à lista daquelas habilitadas à exportação, reiterou Stephanes. Ele previu que até o final do ano a situação deve estar normalizada, apostando na inclusão de 4 a 5 mil propriedades na lista. Os auditores europeus cumprem agenda hoje e amanhã no Rio Grande do Sul, dentro da rodada de avaliação dos Estados habilitados. Eles devem visitar propriedades em cinco municípios gaúchos.O ministro participou hoje da abertura da Expodireto Cotrijal, feira agrícola em Não-Me-Toque, a 280 quilômetros de Porto Alegre (RS).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.