Steve Jobs volta aos holofotes

Mais magro, fundador da Apple mostra novos iPods

Reuters, SÃO FRANCISCO, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 00h00

Um Steve Jobs bem mais magro voltou ontem aos holofotes, pela primeira vez em mais de seis meses, ao revelar novos iPods em evento da Apple, recebendo aplausos do público.

As ações da Apple, no entanto, caíram após atingirem seu nível mais alto em um ano, com alguns analistas tendo observado o quão magro estava o presidente executivo da companhia, de 54 anos.

Vestindo seus típicos jeans e camiseta preta, Steve Jobs subiu ao palco e agradeceu a todos da comunidade Apple por seu apoio. Foi a primeira vez que apareceu em público desde que voltou ao trabalho em junho, após seis meses de licença médica, durante a qual o carismático "showman" do mundo corporativo passou por um transplante de fígado.

"Agora tenho o fígado de uma pessoa de 20 e poucos anos que morreu em um acidente de carro e foi generosa o suficiente para doar seus órgãos. Eu não estaria aqui se não fosse por essa generosidade", disse Jobs ao público, emocionado e incitando que todos se tornem doadores de órgãos. As ações da Apple inicialmente subiram 1%, mas depois inverteram o rumo e fecharam com queda de 1,03% na Bolsa de Nova York.

BASTÃO

"Tenho certeza que essa aparência tão frágil (de Jobs) - o cara passou pela cirurgia mais grave que se pode passar - não ajudou as coisas, mas acho que as pessoas já aceitaram que o bastão será passado para outro, é só uma questão de quando acontecerá", disse o diretor administrativo de negociação de ações dos EUA da Canaccord Adams, Dave Rovelli.

Jobs, que sobreviveu a um câncer de pâncreas há alguns anos, começou o evento de ontem anunciando a nova versão da loja de mídia online da Apple, a iTunes, e a atualização do software do iPhone, o telefone "inteligente" da companhia.

O executivo então revelou as novas ferramentas e cores do tocador de música digital iPod, incluindo o novo iPod nano com câmera de vídeo. Além disso, anunciou cortes nos preços de outros modelos para a temporada de festas de fim de ano, estratégia crucial para as vendas de eletrônicos.

Analistas esperavam que a aparição de Jobs impulsionasse as ações da Apple. Os papéis da empresa chegaram a subir durante a tarde para US$ 174,47, seu nível mais alto desde 28 de agosto de 2008. Mas a alta não se sustentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.