STF manda soltar Daniel Dantas, sua irmã e mais 9

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, determinou ontem à noite que fossem postos em liberdade imediatamente o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, sua irmã, Verônica Dantas, e os outros nove executivos e diretores do banco. Todos haviam sido presos na terça-feira pela Polícia Federal durante a Operação Satiagraha, que investiga um esquema de desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e outros crimes que podem envolver o montante de pelo menos US$ 1,9 bilhão.A decisão, divulgada às 23h30 de ontem, não beneficia o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o investidor Naji Nahas, também investigados. Eles continuarão na carceragem da PF em São Paulo pelo menos até sábado. No texto, o ministro Gilmar Mendes argumentou que as alegações do juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, para decretar a prisão temporária de Dantas e dos demais envolvidos não justificam a detenção. Entre as razões citadas pelo juiz estariam a necessidade de interrogá-los e confrontar os depoimentos com as provas. "No caso em exame, a fundamentação utilizada pelo decreto de prisão temporária não é suficiente para justificar a restrição à liberdade dos pacientes", disse Mendes na decisão.A decisão foi encaminhada ontem à noite, por fax, à PF em São Paulo. No início da tarde, o presidente do STF havia se negado a analisar o pedido dos acusados enquanto não recebesse informações da Justiça. A decisão contrariou o parecer do subprocurador-geral da República Wagner Gonçalves, para quem os habeas-corpus não deveriam ser concedidos. Às 5h40 desta manhã, deixaram a sede da Superintendência da Polícia Federal, na Lapa, zona oeste de São Paulo, o banqueiro Daniel Dantas, sua irmã, Verônica Dantas, e outras sete pessoas presas na última terça-feira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.