STJ diz que "é quase oficial" desistência da Caixa sobre o FGTS

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Nilson Naves, disse hoje que teve a informação de que a Caixa Econômica Federal desistirá dos recursos em que é discutida a correção dos saldos do FGTS. A informação, segundo ele, é "quase oficial".Desde o final de janeiro e início de fevereiro, de acordo com suas informações, as assessorias técnicas da Caixa e do STJ vêm discutindo a possibilidade de desistência. "Estou torcendo para que a desistência vá a frente. Espero que vá" , afirmou. Ele disse que pediu aos tribunais regionais federais que não encaminhem os processos ao STJ até que a situação seja definida. Nilson Naves afirmou que ainda não conversou sobre o assunto com o presidente da Caixa, Jorge Mattoso, mas acrescentou que está "tentando marcar um encontro". Naves disse que a seleção dos processos seria semelhante à que já vem ocorrendo no Supremo Tribunal Federal desde o início do ano passado.De acordo com informações do Supremo, uma equipe de estagiários e advogados da Caixa vem trabalhando no STF desde fevereiro do ano passado. Até o momento, o presidente do Supremo, Marco Aurélio Mello homologou 33.025 desistências. Outros 30 mil processos deverão ser encaminhadas a ele.Estes processos referem-se a correções dos planos Bresser (junho de 87), Verão (janeiro de 89), Collor I (março de 90 a julho de 90) e Collor 2 (janeiro e fevereiro de 91).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.