STJ mantém bloqueio de bens e contas do grupo Avestruz Master

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Raphael de Barros Monteiro Filho, rejeitou os pedidos da empresa Avestruz Master Agro Comercial Ltda e do empresário Jerson Maciel da Silva para reconsideração do despacho sobre o caso proferido pelo ministro Humberto Gomes de Barros no dia 30 de junho.De acordo com informações do site do STJ, com esta decisão, fica mantido o bloqueio dos bens e contas bancárias do Grupo e de seus sócios, determinado pela Justiça Federal.Ameaçado de falência, o Grupo Avestruz Master é formado por dez empresas que atuam na criação e abate de avestruzes. De acordo com dados da Procuradoria da República, o ressarcimento do prejuízo a possíveis vítimas, União e credores alcança R$ 1 bilhão. Ações sobre o caso estão espalhadas por 49 varas nos Estados de Goiás, Minas Gerais, Tocantins, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e no Distrito Federal. Por outro lado, na Justiça Federal, os então administradores do Grupo estão sendo processados por crime contra o sistema financeiro, contra a ordem econômica, contra relações de consumo e por estelionato. Por isso, a determinação da Justiça Federal para o bloqueio dos bens e contas. As informações são do site do STJ.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.