Strauss-Kahn pede desculpas e diz que não abusou de poder

Diretor do FMI, que é investigado por caso com ex-funcionária, diz que entende decepção da equipe

Marcílio Souza, da Agência Estado,

20 de outubro de 2008 | 15h54

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, pediu desculpas à sua equipe nesta segunda-feira, 20, pelo que chamou de "um incidente envolvendo a mim e a uma integrante do staff". Ele se referia a um caso que teve com uma ex-membro da divisão do FMI para a África, Piroska Nagy. Esse relacionamento está agora sendo investigado por um escritório de advocacia externo que deverá determinar se a questão significa abuso de poder. Veja também:'Nos amamos como no primeiro dia', diz mulher de Strauss-KahnFMI investiga chefe por suposto abuso de poder "Muitos de vocês sentem que eu lhes decepcionei, mas eu entendo essa sensação", disse ele em e-mail enviado após uma reunião do conselho diretor do fundo. Ele afirmou que não abusou de sua autoridade. "Embora esse incidente tenha sido um erro de julgamento da minha parte, pelo qual eu assumo total responsabilidade, eu acredito firmemente que não abusei de minha posição", disse ele na mensagem.

Tudo o que sabemos sobre:
FMIDominique Strauss-Kahn

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.