Subsídio e pirataria têm efeito igual, diz Furlan a senador dos EUA

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, disse hoje ao senador norte-americano Norm Coleman, durante o seminário "Brasil contra a Pirataria", em São Paulo, que "a competição desleal através de subsídios faz o mesmo efeito da competição desleal criada pela pirataria, fraude e falsificação".Para o ministro brasileiro, a "competição desleal que o Brasil sofre é disfarçada por uma variada gama de subsídios e barreiras impostas aos produtos brasileiros". Olhando para o senador, Furlan disse: "gostaria que levasse essa mensagem aos seus pares".Para ele, o Brasil "está fazendo a sua parte" no combate à pirataria com ações integradas. "Acreditamos que a visita do senador vai gerar um relatório que vai mostrar que o Brasil está trabalhando no combate à pirataria e não é merecedor de qualquer tipo de sanção", afirmou. De acordo com Furlan, o Brasil está na 11ª posição no ranking mundial da pirataria de softwares. "O número 1 são os EUA e todos os países adiantados estão aí pontuando", disse. Diplomático, o senador norte-americano Norm Coleman manifestou otimismo quanto às estratégias do Brasil para combater o avanço da pirataria e disse que o governo dos Estados Unidos deverá adiar as medidas que prevêem sanções contra os países onde há falsificação de produtos. "O Brasil tem atualmente um compromisso e um plano para combater a pirataria", afirmou Coleman, que preside o sub-comitê para o Hemisfério Ocidental na Comissão de Relações Exteriores do Senado.Coleman disse que ainda não há uma decisão sobre uma eventual retirada de produtos brasileiros do Sistema Geral de Preferências (SGP), que prevê a redução ou isenção de taxas de importação a uma série de produtos vendidos para os Estados Unidos. Segundo ele, a questão da pirataria é muito importante para a revisão do SGP, mas que ainda não há uma conclusão a respeito. "Nós já adiamos os prazos anteriormente e eu posso adiantar que esse prazo será estendido mais uma vez", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.