Subsídios agrícolas caíram 4% na OCDE em 2006

Ajuda a produtores entre os países industrializados foi de US$ 268 bi no ano passado.

BBC Brasil, BBC

23 de outubro de 2007 | 17h20

Os países industrializados reduziram seus subsídios agrícolas no ano passado, indica um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgado nesta terça-feira.O total de ajuda financeira concedida nos 30 países da organização caiu 4% em 2006, chegando a US$ 268 bilhões. No ano anterior, os subsídios somaram US$ 281 bilhões.Mas a organização disse que a queda não é resultado de nenhuma mudança nas políticas protecionistas dos países ricos, e sim no atual cenário econômico de altos preços das commodities agrícolas.Essa conjuntura reduziu a necessidade de subsídios para segurar os preços internos.A ajuda oficial correspondeu em média a 27% do total da receita dos produtores, um pouco abaixo dos 29% registrados no ano anterior.Mas a variação foi grande de acordo com cada país, disse a organização. Chegou a 1% da receita dos produtores na Nova Zelândia, mas ultrapassou os 60% na Islândia, Noruega, Coréia do Sul e Suíça.União EuropéiaNa União Européia, o valor dos subsídios chegou inclusive a subir entre 2005 e 2006, de US$ 134 bilhões para US$ 137 bilhões. Mas, por conta do efeito da alta receita garantida pelos preços dos produtos, a importância da ajuda dentro do total recebido oscilou de 33% para 32% do total.No Japão, os subsídios chegaram a US$ 40,6 bilhões, o equivalente a 53% da renda dos produtores.Já nos Estados Unidos, os subsídios somaram US$ 29 bilhões e garantiram 11% da receita dos produtores, uma queda em relação ao ano anterior (US$ 42 bilhões e 16% do total).Para efeito de comparação, a ajuda brasileira aos produtores é de cerca de 3% da receita deles.A organização voltou a pedir mudanças no sentido de reduzir o protecionismo das políticas agrícolas dos países industrializados.O diretor de Comércio e Agricultura da OCDE, Stefan Tangermann, disse que "é necessário avançar nas reformas, tanto para garantir o melhor o desempenho doméstico das políticas agrícolas quanto para contribuir com a abertura de mercados para o comércio agrícola".Fazem parte da OCDE Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, Coréia do Sul, Dinamarca, Eslováquia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Japão, Luxemburgo, México, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Portugal, República Checa, Suécia, Suíça e Turquia.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.