bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Suco cai 3,14% em NY com previsão de chuvas na Flórida

Cenário:

ANGELO IKEDA, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2013 | 02h07

A previsão de um volume considerável de chuvas na Flórida na próxima semana derrubou as cotações futuras do suco de laranja ontem na Bolsa de Nova York. O contrato com vencimento em julho caiu 3,14% e fechou a 138,75 centavos de dólar por libra-peso. O clima mais seco do que o normal no Estado, maior produtor de laranja dos Estados Unidos, está agravando os efeitos do greening - doença que provoca a queda prematura dos frutos e que já motivou uma redução de pelo menos 10% na estimativa para a safra atual. Um volume bom de chuvas poderia amenizar a situação e melhorar as perspectivas de produção. Os contratos do suco também foram pressionados por ordens automáticas de venda, disparadas depois que o preço caiu para abaixo de 140 centavos de dólar.

O café arábica cedeu 2,51% e fechou no nível mais baixo desde 19 de março, com a expectativa de uma produção volumosa no Brasil novamente pesando sobre o mercado. O País está iniciando a colheita de uma safra que deve ser recorde para um ciclo de baixa produção. Além disso, o Brasil ainda tem grandes estoques da safra anterior, que produtores estão vendendo para conseguir espaço de armazenagem para o café que está sendo colhido agora.

Na Bolsa de Chicago, a soja subiu 0,64% e fechou no patamar mais alto em uma semana, com os temores persistentes sobre o aperto dos estoques americanos no curto prazo. A previsão de clima mais seco no Meio-Oeste dos EUA fez o milho cair 0,76%, já que isso pode significar um avanço do plantio na região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.