Suco de laranja sobe com perspectiva de menor oferta

Cenário: Paula Moura

O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2012 | 02h07

Os preços futuros do suco de laranja concentrado e congelado subiram ontem pelo sétimo pregão consecutivo na Bolsa de Nova York. O contrato março, o mais negociado, avançou 1,08% e fechou a 140 centavos de dólar por libra-peso, maior patamar desde abril. As cotações da commodity vêm subindo desde que o governo dos Estados Unidos reduziu em 5,2% sua estimativa para a safra de laranja na Flórida, maior estado produtor do país.

O ajuste para baixo da projeção teria sido motivado pelo aparecimento de focos de greening nos pomares. A doença, a mais grave da citricultura, provoca a queda dos frutos.

Participantes também consideram a possibilidade de a produção norte-americana ser danificada por geadas. A meteorologia ainda não prevê geadas, mas a possibilidade de isso ocorrer tem sustentado as cotações.

Na mesma bolsa, o café recuou 1,34%, com pressão da oferta global ampla. Segundo analistas, este é o momento de pico da colheita na América Central. A chegada de produto ao mercado eleva a disponibilidade de café, que já é grande devido à safra volumosa do Brasil.

Na Bolsa de Chicago, a soja caiu 1,86%. A demanda da China vinha sustentando as cotações da oleaginosa, mas ontem os chineses cancelaram uma compra grande que fariam dos EUA e isso fez os preços caírem com força. O milho seguiu a soja e recuou 0,56%, ainda pressionado pela percepção de que os preços altos do cereal norte-americano inibem a demanda pelo produto americano. Já o trigo subiu 0,40%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.