Suez, Camargo e estatais formam consórcio para Jirau

Ontem, o governo anunciou o adiamento do leilão, para permitir entrada de outro consórcio

Leonardo Goy, da Agência Estado,

30 de abril de 2008 | 19h38

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informou hoje que a empresa belga Suez fechou um consórcio em parceria com a Camargo Correa e as estatais Chesf e Eletrosul para entrar na disputa pela concessão da usina hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira. Ontem, o governo anunciou o adiamento do leilão do dia 12 para 19 de maio. Segundo o ministro, o adiamento teve como objetivo dar mais tempo para que um terceiro consórcio se apresente para a disputa. Por enquanto, o consórcio encabeçado pela Suez tem como único concorrente o grupo liderado por Furnas/Odebrecht, que venceu no ano passado o leilão da usina de Santo Antonio, também do complexo do Rio Madeira. Lobão explicou que esse terceiro consórcio poderá ter a participação da Eletronorte ou ser inteiramente privado.O ministro adiantou qual será a participação societária do consórcio liderado pelo grupo Suez. A multinacional terá 52% de participação, a Camargo Correa ficará com 8% e as duas estatais terão 20% cada uma.

Tudo o que sabemos sobre:
Jirau

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.