Suíça inaugura espaço público para trabalho de prostitutas

Cabines fazem parte da política governamental para melhorar segurança e saude no mercado de prostituição

Efe,

15 de agosto de 2013 | 12h08

SÃO PAULO - Regular o trabalho no mercado da prostituição é um tema polêmico, mas o governo Suíço resolveu inovar para tentar melhorar as condições de trabalho das prostitutas e a segurança dos clientes.

As autoridades instalaram cabines para veículos fora da região central, como parte da política adotada para regular o trabalho dos "trabalhadores sexuais". O novo sistema que parece um "drive-in" começa a funcionar no dia 28 de agosto.

O espaço oficial para a prostituição em Zurique ficará aberto entre as 19 horas e as 3 horas, com garagens para os clientes. As cabines terão banheiro com chuveiro e sistema de alarme para a trabalhadora acionar quando se sentir ameaçada.

Regulamentação. As mulheres têm de ser maiores de 18 anos e ter carteira de prostituta emitida pela Prefeitura, documento que dá direito a assistência permanente de um médico ginecologista e apoio psicológico. O espaço de trabalho tem policiamento municipal, boa iluminação e placas de orientação para os clientes.

A prostituição é legal na Suíça e em várias cidades do país são estabelecidos perímetros onde as prostitutas registradas podem exercer a profissão.

A lei sobre a prostituição foi revisada e ratificada pelos habitantes de Zurique em referendo no ano passado e vigora a partir deste ano.

No referendo em março do ano passado, 46,5 mil moradores de Zurique apoiaram a regulação do mercado, o que representou 52,6% dos votos. 41,8% dos eleitores participaram do referendo.

Tudo o que sabemos sobre:
Prostituição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.