Suinocultores protestam contra crise no setor

Suinocultores da região metropolitana de Curitiba e de nove municípios do sul do Paraná realizaram protesto na manhã desta segunda-feira, pedindo mais atenção do governo federal para o setor. Em Curitiba, foi fechada por uma hora a BR-116, no cruzamento com o Contorno Sul. Formou-se uma fila com cerca de 3 quilômetros. Os manifestantes distribuíram centenas de sanduíches de carne de porco. Em União da Vitória, no sul, o protesto foi na BR-153, no entroncamento com a BR-476.Segundo um dos coordenadores do movimento em Curitiba, Luís Bisewski, em outubro do ano passado, o quilo de porco para o produtor estava, em média, em R$ 2,20. Agora, baixou para R$ 1,25, enquanto o custo de produção está em R$ 1,75. "São R$ 0,50 de prejuízo em cada quilo produzido", lamentou. Para ele, o problema central foi a febre aftosa detectada pelo Ministério da Agricultura no Estado, que levou à suspensão de exportações. Com mais oferta interna, o preço caiu.De acordo com Bisewski, os cerca de 8 mil suinocultores do Estado tiveram prejuízo de aproximadamente R$ 1 bilhão. Coordenador do movimento em União da Vitória, Olinto Butewicz, disse que os produtores sofrem mais porque não têm as oportunidades de financiamento que são dadas para as empresas que industrializam os suínos e para quem eles fornecem. Segundo ele, o preço reduzido para o produtor não é repassado nos mesmos níveis para o consumidor. "Tem gente ganhando muito dinheiro", criticou.Os suinocultores pedem, entre outras coisas, que o governo tenha um programa específico de apoio ao setor que proporcione sobretudo mais crédito, que sejam prorrogadas as dívidas dos produtores e que haja apoio à industrialização nos municípios. "São necessárias medidas que não exijam do produtor que se desfaça de seu plantel", pediu Bisewski.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.