SulAmérica compra fatia do BB na Brasilsaúde

Aquisição encerra as parcerias entre o Banco do Brasil e a seguradora, que se estendia também para a área de veículos

, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2010 | 00h00

A seguradora SulAmérica comprou a fatia de 49,9% do Banco do Brasil na Brasilsaúde, prestadora de serviços médicos e odontológicos. Com o negócio, de R$ 28,4 milhões, a SulAmérica passou a deter 100% da empresa. De acordo com o vice-presidente corporativo e de relações com investidores da SulAmérica, Arthur Farme, a compra deve ser aprovada pela Agência Nacional de Saúde (ANS) em um período de dois a três meses.

Em teleconferência com a imprensa, o executivo afirmou que a transferência de ações ocorrerá logo depois desta aprovação. O valor de R$ 28,4 milhões da transação será pago em dinheiro e representa 1,2 vezes o valor patrimonial da Brasilsaúde.

As sinergias geradas pela compra ainda não foram avaliadas, mas a companhia pretende se aproximar das operações da Brasilsaúde nas próximas semanas. Apesar de já ser sócia da empresa anteriormente, a Sul América mantinha sua operação de forma independente. Segundo Farme, a principal preocupação neste momento não é pensar em novos produtos, mas consolidar as duas carteiras.

Integração de carteiras. A Brasilsaúde conta com 100 mil membros segurados, sendo a maioria em apólices coletivas, e este número já integrava os 1,8 milhão de assegurados da Sul América na área de saúde. "As prioridades neste momento são integrar as carteiras e manter os serviços que são prestados", afirmou. No total, a Sul América conta com 5,5 milhões de segurados.

A área de saúde representava 64% da receita total da Sul América no final do primeiro trimestre, ante participação de 53% em dezembro. Segundo o executivo, isso ocorreu por causa da venda da participação na Brasil Veículos para o Banco do Brasil neste mês. A fatia do segmento automotivo passou de 34% para 22% nesta comparação. De acordo com Farme, a Sul América não tem uma meta de participação nestes setores. "O mix é uma consequência das oportunidades que surgem e do desempenho das carteiras", explicou.

Para o Banco do Brasil, a venda da Brasilsaúde para a SulAmérica põe fim ao processo de reestruturação das seguradoras do banco, que começou em 2008. A Brasilsaúde era a única das cinco seguradoras do BB que ainda não havia passado por mudanças societárias e troca de sócios. O objetivo do banco é elevar a participação da área de seguros no lucro do banco dos atuais 14% para 24% até 2012.

Com as mudanças, o BB passa a ter três parceiros. O maior é a espanhola Mapfre, para a área de veículos, ramos elementares e crédito. A Icatu foi escolhida para a área de capitalização. A americana Principal é a sócia na Brasilprev, voltada para a venda de planos de previdência. / NATALIA GÓMEZ E ALTAMIRO SILVA JUNIOR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.