Sulgás não repassará reajuste de preço do gás no RS

A Sulgás decidiu manter o preço do gás natural distribuído no Rio Grande do Sul, apesar da previsão de reajuste de 4% pela Petrobras em decorrência do combustível importado da Bolívia. Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Logística do Estado, a decisão levou em conta a estrutura de tarifa e as margens adotadas pela companhia. A Sulgás calcula que pode absorver a variação sem comprometer sua rentabilidade, disse o secretário Daniel Andrade. O secretário afirmou que a medida é uma forma de enfrentar a crise econômica e auxiliar na retomada do crescimento.

SANDRA HAHN, Agencia Estado

30 de setembro de 2009 | 19h48

O preço do gás importado varia mensalmente de acordo com a taxa de câmbio e trimestralmente conforme os preços de uma cesta de tipos de petróleo previamente definida. De acordo com a Sulgás, no quarto trimestre o preço do gás boliviano deve subir cerca de 8%, para US$ 6,6110 por milhão de BTU (medida térmica britânica). Considerando a expectativa de queda na taxa de câmbio, o aumento a ser aplicado a partir de amanhã seria de aproximadamente 4%, que não será repassado.

Tudo o que sabemos sobre:
gás naturalpreçoSulgás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.