Sumitono afasta presidente e diretor financeiro da Parmalat

O advogado do grupo Parmalat no Brasil, Thomas Felsberg, disse que o banco Sumitomo conseguiu destituir o presidente Ricardo Gonçalves e o diretor financeiro Andrea Ventura da companhia. A decisão foi do juiz Carlos Henrique Abrão, da 42ª Vara Civil de São Paulo, em ação movida pelo banco, credor de 6% da dívida da Parmalat. Segundo o advogado, após o recebimento da notificação o presidente da empresa renunciou ao cargo. O novo presidente será Keiler Carvalho Rocha, nomeado pelo juiz."É um absurdo. Fomos pegos totalmente de surpresa. Não tivemos como nos defender", declarou o advogado, que participou nesta manhã do seminário "A Lei de Falências e a Recuperação de Empresas em Dificuldades", promovido pela Associação Brtasileira das Companhias Abertas (Abrasca), no auditório da Bovespa, em São Paulo.Thomas Felsberg afirmou que a empresa irá recorrer contra a decisão do juiz . "A orientação que eu recebi da Itália foi de recorrer contra a decisão", afirmou. "Por outro lado, a Parmalat italiana fez questão de frisar que colaborará com o banco Sumitomo enquanto este estiver à frente da companhia", disse o advogado, lembrando que o grupo pretende preservar a integridade dos ativos no Brasil.O Sumitomo é credor de 6% da dívida da Parmalat, ou 0,4% da dívida total do grupo no Brasil. "É um absurdo que um credor minoritário assuma individualmente a administração da empresa. É uma situação esdrúxula", disse Felsberg. "Isso fere o direito dos demais credores."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.