Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Summit Agronegócio discute avanços da COP-26 e as oportunidades e os desafios para o setor

Evento promovido pelo 'Estadão' terá a presença de grandes nomes do setor e discussões sobre ESG

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2021 | 05h00

A 26ª Conferência do Clima (COP-26) se encerrou neste fim de semana em Glasgow, Escócia, com algumas definições e muitas incertezas, sobretudo quanto ao financiamento do mercado global de carbono, assunto no qual o agronegócio brasileiro é um dos principais interessados. Este e outros temas relativos ao que foi discutido na COP-26 serão debatidos durante o Summit Agronegócio 2021, encontro promovido pelo Estadão, nesta terça (16) e quarta-feira (17), a partir das 9 horas.

O evento, online e gratuito, contará com a abertura, por vídeo, dos governadores tucanos João Doria, de São Paulo, e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul. Em seguida, uma ativa participante na COP-26, a diretora-geral da Fairr Initiative, Maria Lettini, fará a palestra de abertura. 

A executiva está à frente de uma associação que abriga os maiores investidores globais, com uma carteira de pelo menos US$ 40 trilhões em investimentos. Lettini afirma que a primeira exigência dos associados da Fairr, sobre onde aplicar seus recursos, é que os potenciais interessados trabalhem pautados pela sigla ESG (em inglês, “environmental, social and governance”).

Agenda

A programação da terça-feira prossegue com o painel “Conferência do Clima – um Balanço do Agro”, a partir das 9h50, o qual têm presença confirmada Deise DallaNora, diretora de Food Solution Innovation da Yara Brasil; Eduardo Delgado Assad, pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária e especializado em mudanças climáticas, e Nelson Ananias, coordenador de Sustentabilidade da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

O segundo painel do dia discutirá “Como a Tecnologia Ajuda o Meio Ambiente”, no qual os debatedores mostrarão que a tecnologia aplicada ao campo já contribui e pode contribuir cada vez mais na direção de uma produção agrícola e pecuária sustentável. 

Vão integrar este painel Almir Araújo, que é diretor de Digital, Novos Modelos de Negócios e Excelência Comercial em Soluções para Agricultura da Basf América Latina; Álvaro Luiz Dilli Gonçalves, diretor de RH, TI e Sustentabilidade da SLC Agrícola e Flávio Bonini, gerente de Serviços Técnicos da Mosaic Fertilizantes.

Como todos os anos, o Summit Agronegócio Estadão apresenta, ao fim dos debates do dia, as startups com forte atuação no agronegócio. É uma oportunidade para os participantes do evento conhecerem as empresas à frente no desenvolvimento de tecnologias e serviços para o produtor rural.

Privatizações

O dia seguinte, quarta-feira (17), debaterá os avanços que o País tem obtido na logística voltada ao agronegócio. Várias concessões de ferrovias, por exemplo, têm destravado, além de estar em discussão a “BR do Mar”, que regulamentará a navegação de cabotagem no País, ambos assuntos de extremo interesse para o agronegócio.

O crédito, como não poderia deixar de ser, é outro importante assunto ligado à produção agrícola e pecuária no País e fundamental para o avanço do setor nos próximos anos. O Summit Agronegócio abordará o tema, incluindo as novas ferramentas para financiar a produção. 

Os debatedores são Guilherme Soria Bastos Filho, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura; Jonatas Couri, membro da Vertical Agro da Associação Brasileira de Fintechs, e Leisa Souza, head da Climate Bonds Initiative para a América Latina.

Summit Agronegócio 2021

16 e 17 de novembro, a partir das 9h

Inscrições gratuitas: 

summitagro.estadao.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.