Super Fácil Fiat muda anúncios devido ao Procon

A empresa Sul América Capitalização vem mudando a campanha de publicidade de seu título Super Fácil Fiat em virtude das reclamações de órgãos de defesa do consumidor que consideram enganosa a propaganda veiculada pela empresa. Ao contrário do que faz supor a publicidade, o título de capitalização Super Fácil Fiat não corresponde à compra de um automóvel.O plano apenas permite que, ao final do prazo de pagamento, o cliente receba o valor total das mensalidades que pagou com correção da TR. Com o dinheiro resgatado, pode optar pela compra de um carro Fiat, com descontos dados pela montadora que variam entre 6,5% (no plano de 24 meses) e 11% (no plano de 60 meses).O preço do carro 0Km da Fiat serve somente como parâmetro para que se calcule o valor inicial do título de capitalização. Porém, como as mensalidades do Super Fácil Fiat recebem apenas a correção da TR, pode acontecer de, no final do plano, o dinheiro resgatado ser inferior ao valor do automóvel, mesmo com o desconto dado pela montadora.Isso ocorre pois os preços do setor automobilístico variam segundo inúmeros fatores e esse risco aumenta ainda mais quando se consideram os prazos extensos do Super Fácil Fiat, que variam entre dois e cinco anos.Outro ponto negativo de um título de capitalização são os juros que o consumidor ganha sobre o valor investido. Para se ter uma comparação, a rentabilidade anual da poupança corresponde à soma de dois fatores: uma taxa fixa de 0,5% ao mês mais a TR. Hoje (12/3), por exemplo, o rendimento acumulado da poupança em 12 meses soma 8,04%.No caso do Super Fácil Fiat, a rentabilidade da TR em 12 meses seria de 1,76%, bem menor. Os fundos de renda fixa, por sua vez, tiveram no ano passado uma rentabilidade de aproximadamente 13,7%. Na prática, os clientes do Super Fácil Fiat abrem mão de maior rentabilidade para ter direito aos oito sorteios por mês. A possibilidade de prêmios é uma prática comum entre os títulos de capitalização.Além disso, caso desista do plano durante o prazo de vigência do contrato, o consumidor resgata somente uma parte do valor total das prestações. Esse porcentual resgatado varia conforme o número de mensalidades já quitadas. No plano de 24 meses, por exemplo, se o consumidor desistir depois de pagar seis mensalidades, recebe de volta 75,24% do total pago. No plano de 36 meses, o porcentual é de 55,19%. No de 50 meses, é de 39,51%. E, no plano de 60 meses, caso desista depois de seis meses, o consumidor resgata apenas 24,28% do que pagou. Veja no link abaixo todas as tabelas de resgate da Sul América para os casos de desistência.As críticas do ProconFoi a partir de setembro do ano passado que a Sul América começou a rever a publicidade do Super Fácil Fiat, lançado em março de 1996. Antes da reformulação, o site da empresa trazia a seguinte informação: "Você compra um título de capitalização Sul América correspondente a um automóvel 0KM da marca Fiat". O Procon-MG - órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual - afirmou que a propaganda deveria deixar bem claro que a aquisição do título não significava a compra do automóvel. Por isso, o órgão considerava a publicidade enganosa.Seguiram-se várias reuniões entre a empresa e o Procon-MG e a partir daí começaram as modificações no site, nos anúncios de rua e no próprio contrato da Sul América. "Ainda não estamos de acordo com a publicidade, mas reconhecemos que ocorreram avanços", afirmou o coordenador do Procon-MG, Ênio Andrade Nogueira. Ele disse que a cobrança do Procon junto à Sul América deve-se ao fato de que o Código de Defesa do Consumidor exige transparência nos contratos e anúncios de qualquer produto, regra que não era seguida pelo Super Fácil Fiat. "Da maneira como estava sendo veiculada a propaganda, pensamos até em solicitar a retirada dos anúncios de circulação", informou Nogueira.O técnico do Procon-SP, Alexandre Costa Oliveira, afirma que a propaganda da Sul América tenta atrair clientes dando destaque à imagem do carro Fiat, o que leva os cliente a associarem o plano à compra do automóvel. Ele diz que, nas maiorias das situações, os consumidores desconhecem os detalhes técnicos que regulamentam os títulos de capitalização e, portanto, se guiam principalmente através da publicidade e das explicações dos corretores de seguro. Por isso, o técnico recomenda atenção especial durante a assinatura de um contrato de capitalização.Sul América e Fiat respondem às críticas O gerente de comunicação e novos negócios da Sul América, Antônio Carlos Gabriel, discorda da afirmação de que a empresa faz propaganda enganosa. "Não quero comentar os anúncios anteriores, mas os atuais não têm nada de enganoso. Estamos no mercado há 71 anos e já vendemos mais de 2 milhões de títulos de capitalização. Não poderíamos viver tanto tempo de propaganda enganosa", afirmou. "Queremos deixar bem claro que o título apenas programa a compra de um carro Fiat. Afinal, não somos fabricantes de carro".A Assessoria de Imprensa da Sul América informou que o total de vendas do Super Fácil Fiat já ultrapassou a marca de 200 mil títulos, desde o lançamento do plano. As principais áreas de vendas no país são as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba e Brasília.Na Fiat, o diretor de comunicação Marco Antônio Lage explicou que a total responsabilidade sobre os anúncios do Super Fácil Fiat é da Sul América. Ele disse que a montadora está atenta às reclamações levantadas contra a Sul América e espera que a situação se resolva o mais cedo possível. "O nome Fiat se expõe com as cobranças sobre o título de capitalização".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.