Superávit chegará a US$ 10 bi, prevê Amaral

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral, disse que o saldo comercial do Brasil, neste ano, deverá apresentar um superávit US$ 10 bilhões, acima dos US$ 9,5 bilhões previstos na última estimativa. De acordo com o ministro, que participou de um almoço da Câmara de Comércio Brasil-França (CCFB), as exportações deste ano devem fechar no mesmo patamar de 2001.Para Amaral, o resultado pode ser considerado extremamente positivo, já que em 2001 o comércio mundial mostrou uma queda de 1,5% e neste ano as exportações e importações no mundo deverão apresentar uma expansão de apenas 1%. O ministro disse também que o superávit de US$ 10 bilhões na balança comercial permitirá que o Brasil reduza o déficit em conta corrente para 3% do PIB, bem abaixo dos 5% do ano passado. "Esse feito conseguimos apenas em um ano", disse o embaixador.Amaral explicou também que se não tivesse havido uma queda de 60% nas exportações brasileiras para o mercado argentino, o Brasil teria conseguido exportar US$ 2 bilhões a mais do que no ano passado. Ele disse, ainda, que se o preço dos principais produtos de exportação do Brasil não tivesse caído 6% no mercado internacional, o País teria conseguido exportar outros US$ 3 bilhões a mais. Isto significa, acrescentou o ministro, que o Brasil, mesmo num cenário de conjuntura internacional complicado, estaria exportando, ,este ano, US$ 5 bilhões a mais em relação a 2001. Para ele, esse resultado mostra que o Brasil está preparado para dar sustentabilidade às suas exportações.Segundo o ministro, a reversão que o Brasil conseguiu no último ano, partindo de constantes déficits comerciais para superávits na balança, indica o caminho para reduzir a vulnerabilidade externa. Amaral estima que a balança comercial em 2003 deverá apresentar um superávit de US$ 13 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.