Superávit comercial cai 11% em 2007 até novembro

Com o ritmo forte das importações, o superávit comercial deste ano está 11% menor que no mesmo período do ano passado. As compras internacionais cresceram em novembro, até a segunda semana, 34,9% em relação à média diária de novembro de 2006 enquanto as exportações sobem 18,8% no mesmo período comparativo. Segundo os dados divulgados hoje pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, aumentaram as importações, principalmente, com aeronaves e peças (83,9%), automóveis e partes (73,1%), siderúrgicos (72,5%), farmacêuticos (57%), adubos e fertilizantes (56%), equipamentos mecânicos (55,8%) e instrumentos de ótica e precisão (51,6%). Do lado das exportações, as vendas de manufaturados subiram 22,6%, por conta de gasolina, óleos combustíveis, aviões, automóveis, veículos de carga, tratores, pneumáticos, autopeças e motores e geradores. Os embarques de semimanufaturados aumentaram 16,9%, principalmente nas exportações de catodos de cobre, madeira em estilhas, óleo de soja em bruto, ferro-ligas, catodos de níquel e semimanufaturados de ferro e aço. Os básicos apresentaram alta de 12,9%, por conta de milho em grão, fumo em folhas, carnes suína e de frango, soja em grão e algodão em bruto.Na segunda semana de novembro, a balança comercial apresentou exportações de US$ 3,327 bilhões e importações de US$ 2,860 bilhões, resultando em superávit de US$ 467 milhões. No acumulado de novembro, as exportações somam US$ 4,241 bilhões e as importações, US$ 3,505 bilhões, com superávit de US$ 736 milhões. No ano, as exportações totalizam US$ 136,609 bilhões e as importações, US$ 101,497 bilhões, com saldo positivo de US$ 35,112 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.