Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Superávit comercial da China cresce e bate recorde

Apesar do desaquecimento global, resultado da China aumentou 20% em outubro.

Da BBC Brasil, BBC

11 de novembro de 2008 | 08h21

O superávit comercial chinês subiu no mês de outubro para US$ 35,2 bilhões, batendo pelo terceiro mês seguido o recorde de alta.O superávit - que é a diferença entre as exportações e as importações - aumentou 20% em comparação com os US$ 29,36 bilhões de setembro, apesar do desaquecimento da economia global, causado pela crise financeira.As autoridades da China também divulgaram que a inflação atingiu o menor nível em 17 meses, aumentando a chance de a China cortar taxas de juros da sua economia.No domingo, a China anunciou um pacote de estímulo à economia de US$ 586 bilhões.O plano é voltado para fomentar o crescimento da economia doméstica com corte de impostos e investimentos em projetos de infra-estrutura.Há temores de que a economia chinesa desacelere, o que teria fortes repercussões no resto do mundo.Inflação baixaO superávit comercial aumentou 13,6% com os Estados Unidos e 12,2% com a Europa em relação ao ano passado.As exportações subiram 19,2% em relação a outubro de 2007, enquanto as importações cresceram 15,6%.No mês passado, o índice de preços ao consumidor atingiu o menor nível desde maio de 2007, segundo dados do Escritório Nacional de Estatísticas da China.Em outubro, os preços aumentaram 4% em relação ao ano passado. Em setembro, a inflação havia sido de 4,6%, na comparação com 2007.Para analistas, a inflação baixa dá confiança para que o governo chinês possa cortar taxas de juros sem se preocupar com o aumento dos preços na economia.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.