Superávit comercial do Japão mais do que dobra em julho

Saldo entre exportações e importações foi positivo em US$ 9,5 bilhões, bem acima das expectativas

Hélio Barboza, da Agência Estado,

25 de agosto de 2010 | 08h02

As exportações do Japão aumentaram em julho, uma vez que os embarques para a Ásia continuaram firmes, mas o ritmo de crescimento diminuiu pelo quarto mês consecutivo, despertando o temor de que a economia em geral esteja perdendo fôlego. As exportações japonesas aumentaram 23,5% no mês passado, comparadas às de julho de 2009, para 5,983 trilhões de ienes (US$ 70,797 bilhões), depois de terem crescido 27,7% em junho, disse o Ministério das Finanças. O resultado marcou o oitavo mês seguido de alta e ficou um pouco acima da mediana das previsões de economistas consultados pela Dow Jones, que era de 22,9%.

As importações cresceram 15,7%, para 5,179 trilhões de ienes (US$ 61,283 bilhões). Com isso, o superávit comercial mais do que duplicou em relação a julho do ano passado, para 804,2 bilhões de ienes (US$ 9,521 bilhões), de 365,7 bilhões de ienes, superando a expectativa dos economistas, que previam um superávit de 457 bilhões de ienes.

A principal razão para a contínua recuperação das exportações é que permanecem sólidas as vendas dos produtos japoneses, como carros e componentes eletrônicos, para as economias emergentes. As exportações para a China aumentaram 22,7% em julho, enquanto os embarques para todos os países asiáticos cresceram 23,8%. Os embarques para os EUA subiram 25,9% e as vendas para a Europa tiveram expansão 13,3%.

Mas as exportações de produtos japoneses devem se enfraquecer, dizem os analistas, dada a recente apreciação do iene, que na noite passada atingiu o maior valor diante do dólar em 15 anos. A moeda norte-americana foi negociada a 83,58 ienes. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.