Superávit da balança em junho até dia 20 é 47,6% menor

Faltando apenas seis dias úteis para fechar o mês, o superávit da balança comercial até a terceira semana de junho (dia 20), de US$ 1,501 bilhão, já é 47,6% menor, pela média diária, que a de igual período do ano passado. Os dados divulgados hoje pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior mostram que a queda é resultado de importações fortes, com uma alta de 61,8%, enquanto o aumento das exportações foi em um ritmo menor, de 29,9%. Na comparação com junho de 2007, as compras internacionais aumentaram principalmente, com adubos e fertilizantes (112,2%), combustíveis e lubrificantes (107,9%), siderúrgicos (83,1%), farmacêuticos (63,1%), químicos orgânicos e inorgânicos (51,7%) e borracha e obras (50,7%).Nas exportações, houve crescimento das vendas nas três categorias de produtos. Os embarques de produtos básicos subiram 67,4% por conta, principalmente, de petróleo em bruto, soja em grão, minério de ferro, farelo de soja, carne de frango, bovina e suína. As exportações de semimanufaturados se expandiram 22,6%, por conta de semimanufaturados de ferro ou aço, ferro-ligas, ferro fundido, óleo de soja em bruto, catodos de cobre e açúcar em bruto. Já as vendas de manufaturados cresceram apenas 8,9%, em razão de álcool etílico, tubos de ferro fundido, óleos combustíveis, fio-máquina, aparelhos transmissores ou receptores, máquinas para terraplenagem, motores e geradores elétricos, partes de motores para veículos e tratores. As exportações acumulam no mês US$ 12,784 bilhões e as importações, US$ 11,283 bilhões. A expansão das vendas externas no ano, pela média diária, é de 24,2% em relação ao mesmo período de 2007 e das importações, de 51,4%. O superávit comercial registra uma queda de 46,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.