Superávit em conta corrente do Japão cai 19,4% em julho

O superávit em conta corrente do Japão diminuiu mais do que o esperado em julho, de acordo com os dados divulgados pelo governo nesta terça-feira. A queda das taxas de juros globais pesou sobre o rendimento dos títulos dos investidores domésticos e o declínio na produção dos outros países reduziu os royalties da tecnologia patenteada pelos japoneses.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

08 de setembro de 2009 | 05h58

Medida mais ampla do comércio do Japão com o resto do mundo, o superávit em conta corrente caiu 19,4% em julho na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 1,266 trilhão de ienes (US$ 13,721 bilhões), antes de ajustes sazonais. A queda foi maior do que a previsão de consenso, que apontava contração de 0,1%. Em junho, o superávit em conta corrente do Japão havia se expandido 144,4% em relação a junho de 2008, para 1,153 trilhão de ienes.

Os dados, divulgados pelo Ministério das Finanças, mostram que o superávit comercial japonês aumentou 42,3% sobre julho do ano passado, para 437,3 bilhões de ienes, com uma queda de 37,6% nas exportações e um declínio ainda maior, de 41,2%, nas importações. No mesmo período, os preços do petróleo caíram cerca de 50%. Mas os números fracos em outras categorias fizeram com que o superávit na conta corrente global diminuísse mais do que o previsto.

O déficit na conta de serviços aumentou para 288,3 bilhões de ienes, ante 223,7 bilhões de ienes um ano antes, em parte por causa da diminuição na produção mundial, o que significou menos indústrias usando as tecnologias patenteadas pelo Japão. Com a queda dos juros em todo o mundo, o rendimento dos títulos em posse de empresas japonesas diminuiu para 1,247 bilhão de ienes, contra 1,645 bilhão de ienes um ano antes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoconta corrente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.