Superávit primário de fevereiro é de 1,8% do PIB

Acumulada em 12 meses, economia para pagamento dos juros da dívida ficou pouco abaixo da meta do governo para o ano; dívida pública líquida aumentou em relação a janeiro

Economia & Negócios e Agência Estado, Atualizado às 11h29

28 de março de 2014 | 10h45

SÃO PAULO e BRASÍLIA - O superávit primário do setor público consolidado em fevereiro, acumulado em 12 meses, foi de R$ 86,1 bilhões, o equivalente a 1,76% do PIB (produção de bens e serviços).

O dados foram divulgados nesta sexta-feira, 28, pelo Banco Central. Em relação janeiro, no último mês a economia dos governos central (Tesouro, Banco Central e Previdencial Social) e governos regionais (Estados e municípios) para o pagamento dos juros da dívida pública foi maior. No primeiro mês do ano, em 12 meses, o superávit havia sido de R$ 81 bilhões - ou 1,66% do PIB.

Apenas em fevereiro, o superávit primário foi de R$ 2,130 bilhões. Em janeiro, o resultado foi muito superior: R$ 19,921 bilhões. Em fevereiro do ano passado, houve superávit também maior, de R$ 3,031 bilhões.

O esforço fiscal de fevereiro foi composto por um déficit de R$ 3,389 bilhões do governo central. Os governos regionais obtiveram superávit de R$ 5,468 bilhões no mês. Desse montante, Estados registraram superávit de R$ 4,107 bilhões; municípios, de R$ 1,360 bilhões.

Déficit nominal. O déficit nominal do setor público consolidado foi de R$ 9,516 bilhões em fevereiro. Em janeiro, havia sido de R$ 10,478 bilhões. Em fevereiro de 2013, de R$ 23,282 bilhões.

Em janeiro, o governo central registrou déficit nominal de R$ 10,116 bilhões. Já os governos regionais tiveram saldo positivo de R$ 734 milhões.

As empresas estatais registraram déficit nominal de R$ 134 milhões. No acumulado do ano, alcançam volume negativo de R$ 19,994 bilhões (2,48% do PIB). No mesmo período de 2013, estava em R$ 15,680 bilhões (2,11% do PIB). Nos 12 meses encerrados em fevereiro, o déficit nominal está em R$ 161,863 bilhões, ou 3,30% do PIB.

O resultado nominal do setor público, ao contrário do primário, não excluiu os juros da dívida a serem pagos.

Dívida pública. A dívida líquida do setor público subiu para 33,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em fevereiro, ante 33,1% em janeiro. Em dezembro de 2013, estava em 33,6% do PIB. A dívida do governo central, governos regionais e empresas estatais terminou o mês passado em R$ 1,649 trilhão.

A dívida bruta do governo geral - que excluiu da conta as empresas estatais e inclui a dívida acumulada em títulos públicos - encerrou o mês passado em R$ 2,816 trilhões. Isso representa 57,5% do PIB. Em janeiro, essa relação estava em 58,1%.

Tudo o que sabemos sobre:
superavit

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.