carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Superávit primário de março em R$ 10,2 bi é recorde histórico

De acordo com os dados divulgados hoje pelo Banco Central, o setor público apresentou em março um superávit primário ? arrecadação do governo menos os gastos com as autarquias municipais, estaduais, federal e as empresas estatais ? de R$ 10,282 bilhões. O resultado foi um recorde histórico e superou as estimativas do mercado. Analistas ouvidos pela Agência Estado previam um saldo entre R$ 5,5 bilhões e R$ 7,5 bilhões em março.Esse foi o maior esforço fiscal obtido na história em um único mês nas contas públicas. O resultado refletiu, principalmente, a melhora nas contas das empresas estatais. Depois de terem apresentado déficit de R$ 3,221 bilhões em fevereiro, as contas das empresas estatais (federais, estaduais e municipais) em março deram uma virada e alcançaram um superávit primário de R$ 2,985 bilhões.O resultado das estatais foi puxado pelo superávit de R$ 2,790 bilhões das empresas federais. As empresas estaduais tiveram um superávit de R$ 199 milhões e as municipais, um saldo positivo de apenas R$ 4 milhões.Esforço fiscalUm esforço fiscal maior do governo federal também contribuiu para o resultado recorde do mês de março. As contas do governo central (governo federal, INSS e Banco Central) registraram um superávit primário no mês de R$ 5,962 bilhões, enquanto em fevereiro, o superávit foi de R$ 4,832 bilhões. O maior destaque foi o superávit das contas do governo federal que atingiu em março R$ 7,448 bilhões, enquanto em fevereiro foi de R$ 6,851 bilhões.De acordo com os dados do BC, os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram em março um superávit primário de R$ 1,336 bilhão. Esse valor, porém, é menor do que o obtido em fevereiro, quando o superávit foi de R$ 1,678 bilhão. Os governos estaduais tiveram um superávit de R$ 1,258 bilhão e os municipais de R$ 1,434 bilhão.

Agencia Estado,

23 de abril de 2004 | 11h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.