Superávit primário do governo central foi de R$ 4,6 bi em novembro

Para o ministro da Fazenda, Guido Mantega, governo está cumprindo ‘rigorosamente’ a meta de superávit

Renata Veríssimo e Edna Simão, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2011 | 12h18

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou nesta quinta-feira, 22, que o superávit primário do governo central (Tesouro, Previdência e Banco Central) foi de R$ 4,6 bilhões. Segundo ele, no acumulado do ano até novembro, o superávit é de R$ 91,1 bilhões - praticamente a meta do ano que é de R$ 91,7 bilhões.

Mantega afirmou ainda que o governo está cumprindo rigorosamente a meta de superávit primário para 2011, em função do maior controle dos gastos e da boa arrecadação. "Neste mês, estamos cumprindo a meta satisfatoriamente. É bom lembrar que novembro não costuma ser um bom mês", afirmou, em encontro com jornalistas para balanço de fim de ano.

O ministro informou que a União está se preparando para cobrir, eventualmente, um superávit menor que o previsto dos Estados. No entanto, Mantega afirmou que caso haja um excedente do primário do setor público consolidado, ele será usado para redução da dívida pública. Mantega disse que a dívida pública fechará 2011 no equivalente a 37% do Produto Interno Bruto (PIB).

Sobre a possibilidade de os Estados não cumprirem a meta de superávit deste ano, ele afirmou que é "bom que os Estados façam mais investimentos". Ele lembrou que o governo aprovou este ano um aumento no limite de endividamento para os Estados de R$ 37 bilhões, para que possa haver aumento nos investimentos. Ele informou que, até o fim deste mês, o governo deve autorizar a ampliação do espaço fiscal para os Estados, atingindo um total de R$ 38 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
superávit primáriogoverno central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.