Superávit primário janeiro/maio é o melhor desde 91

O chefe do Departamento Econômico (Depec) do BC, Altamir Lopes, disse hoje que o superávit primário do setor público de R$ 50,326 bilhões, no período acumulado de janeiro a maio deste ano, é o melhor para este período desde o início da série do BC, em 1991. Ele lembrou que a meta para o segundo quadrimestre, a ser cumprida em agosto, é alcançar R$ 60,184 bilhões, o que significa fazer superávits mensais de R$ 3,3 bilhões até agosto.Para o ano, a meta de superávit primário para o setor público é de R$ 83,849 bilhões, o que, na média, obriga o governo a conquistar superávits mensais de R$ 4,8 bilhões até dezembro.O chefe do Depec informou, ainda, que o déficit nominal em relação ao PIB no período de janeiro a maio alcançou a menor proporção para o período desde 2001, quando estava em 1,03% do PIB. Este ano, está em 1,90% do PIB. As despesas com juros no período, que ficaram em 8,47% do PIB, também tiveram a menor relação desde 2003, quando estavam em 10,65% do PIB.Lopes destacou que o superávit primário do setor público alcançou o melhor resultado em relação ao PIB desde o início da série do BC, em 1991, ao ficar em 6,57% do PIB no período acumulado de janeiro a maio de 2005. O superávit primário do setor público no acumulado dos 12 meses, que atingiu R$ 93,171 bilhões em maio, também é o melhor resultado para o período desde o início da série histórica do BC.Lopes confirmou a meta do governo de atingir 3,6% do PIB de déficit nominal este ano. Até maio, esta relação foi de 2,59%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.