Superávits fiscais podem prejudicar investimentos, diz Ricupero

O secretário-geral da Unctad e ex-ministro da Fazenda no primeiro governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, Rubens Ricupero, disse que a necessidade de registro de superávit fiscais consecutivos no País poderá eliminar a capacidade do Estado para investir em segurança ou desenvolver a competitividade produtiva. "É possível um país como o nosso, com a fragilidade que temos, produzir saldos primários elevados por três ou quatro anos?", questionou. Ele fez a colocação ao comentar a palestra do economista norte-americano Albert Fishlow, que também participa do seminário Novos Rumos do Desenvolvimento no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Fishlow alertou sobre a necessidade de aumento da poupança interna com crescimento dos superávits fiscais no país. "Tenho dúvida que isso seja possível, até porque essas discussões em abstrato levam a generalizações perigosas", afirmou Ricupero. Ele disse acreditar que superávits consecutivos seriam possíveis com elevadas taxas de crescimento das exportações, o que considera improvável diante da atual retração da economia mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.