finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Supermercados esperam no ano maior faturamento desde 1995

O aumento de preços, sobretudo dealimentos, e também do consumo interno impulsionaram ofaturamento dos supermercados no primeiro semestre, levando osetor a esperar neste ano o maior crescimento em mais de umadécada. O faturamento aumentou 7,04 por cento no primeiro semestre,em termos reais, informou a Associação Brasileira dosSupermercados (Abras) nesta quarta-feira. A entidade elevou sua previsão para o crescimento no ano de5 para 6,5 por cento, o que seria a maior taxa desde 1995 e bemsuperior à alta de 0,6 por cento apurada em 2006. "Esse crescimento registrado e previsto para o ano éexpressivo e reflete muito o aumento dos preços desde julho doano passado", disse Sussumo Honda, presidente da Abras. Os preços dos bens de consumo, principalmente de alimentose produtos importados ou com componentes importados, caíramfortemente na primeira metade do ano passado, refletindo boascolheitas e também a queda do dólar. Neste ano, apesar do persistente recuo do dólar, ascommodities internacionais vêm subindo e há alguns problemas desafras, domésticas e externas. Honda lembrou que houve umarecuperação do consumo, o que também pressiona os preços. A cesta AbrasMercado --que reúne 35 produtos de largoconsumo-- acumulou no primeiro semestre alta de 6,06 por cento. Além de contribuir para pressionar os preços, a demandaajudou a aumentar o volume de vendas, disse Honda. "Temos o Bolsa Família estimulando a compra de bens deconsumo em algumas regiões, o aumento do emprego e o aumento dosalário mínimo e do poder de compra da população, sobretudoentre as classes C, D e E." O volume de vendas deve encerrar o ano com expansão entre 4e 4,5 por cento. Em 2007, até abril (último dado disponível), ovolume exibe alta de cerca de 3 por cento. A Abras informou também que em junho o faturamento do setorcaiu 0,82 por cento em relação a maio, mas saltou 8,23 porcento frente a igual mês do ano passado. A queda mês a mês deveu-se a um menor número de dias úteise a uma base mais forte de comparação, já que maio contou com oDia das Mães. O setor supermercadista faturou 124 bilhões de reais emtodo o ano passado. (Por Vanessa Stelzer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.