Supermercados reduzem oferta de congelados

Os supermercados vão reduzir a oferta de congelados e refrigerados, que hoje representam 40% do mix de produtos, para economizar energia elétrica. A informação é do presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), José Humberto Pires de Araújo, que prevê uma mudança no perfil de consumo porque muitas pessoas deverão desligar o freezer e cortar o uso de forno de microondas.Atualmente, das 24 mil lojas pertencentes a 18 mil empresas que integram o setor, 60% não têm geradores e são companhias de pequeno e médio portes. A entidade também está pleiteando linhas de crédito específicas para a compra desses equipamentos. "Esta é a nova realidade", diz o presidente da Abras. Ele acredita que os produtos desidratados vão ganhar espaço nas prateleiras dos supermercados que, por sua vez, vão reduzir a área de congelados e câmaras frias. Na opinião de Araújo, o consumidor não vai parar de comprar congelados e refrigerados, mas irá aumentar a freqüência da visita aos supermercados para adquirir esses produtos. Apesar disso, a Abras reviu de 4% para 3% a expectativa de crescimento de vendas para este ano. O presidente da entidade acha que a retração nas vendas já começará a ser sentida neste mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.